O Session Initiation Protocol ( Protocolo de Iniciação de Sessão), mais conhecido como SIP, teve suas origens em meados da década de 1990 como um componente do conjunto de ferramentas e protocolos da Mbone, ou Multicast backbone, uma rede multicast experimental que rodava em cima da Internet e que no começo tinha outros focos de aplicações.

Isso porque, suas aplicações eram um tanto quanto diferentes das atuais, já que incluíam a distribuição de conteúdo multimídia, como reuniões, seminários e até mesmo palestras do IETF, inicialmente desenvolvido pelo grupo de trabalho da IETF MMUSIC, o SIP passou por mudanças significativas no decorrer de seu processo de criação até os dias atuais.

Enquanto a primeira versão foi criada em 1996, a versão 1.0 do SIP por sua vez, foi lançada como Internet Draft em 1997 e não parou por aí, as atualizações e as mudanças para melhor funcionamento continuaram constantemente, o que acabou resultando em uma segunda versão em 1998 que recebeu uma alta aprovação até março de 1999 e foi então publicado como RFC 2543 em abril de 1999.

Isso não impediu que continuassem ocorrendo atualizações, as remoções e correções de bugs ainda se mantinham e houve então, em julho de 2000, um novo Internet Draft contendo correções de bugs e esclarecimentos relacionados ao SIP, essa versão acabou sendo publicada como RFC 2543 “bis” e pouco depois houveram mais evoluções, o suficiente para se pular diversos “números” sendo então publicado o RFC 3261, que substituiu o RFC 2543.